Coleções Clínicas - Síndrome Coronária Aguda
 

O uso de Troponina T de alta sensibilidade em pacientes com dor torácica não especificada melhora a acurácia para eventos cardiovasculares?

Referência: Nejatian A, Omstedt A, Höijer J, et al. Outcomes in Patients With Chest Pain Discharged After Evaluation Using a High-Sensitivity Troponin T Assay. J Am Coll Cardiol 2017;69:2622-2630.

Autor: Dr. Humberto Graner Moreira

A maioria dos pacientes com dor torácica é liberada do departamento de emergência (DE) com o diagnóstico de "dor torácica não especificada". Não é conhecido se a avaliação com um teste de troponina T de alta sensibilidade (TnT-as) afeta o prognóstico nesta grande população.

Para tentar responder a essa pergunta, os autores desse estudo avaliaram uma coorte baseada em um registro incluindo todos os pacientes acima de 18 anos de idade que foram dispensados de hospitais suecos com o diagnóstico de "dor torácica não especificada" (de acordo com o CID-10) entre julho de 2006 e novembro de 2013. Os resultados da dosagem de Troponina T normal (cTnT) e da TnT-as foram relacionados à ocorrência eventos cardiovasculares adversos maiores (MACE – composto de infarto agudo do miocárdio [IAM], revascularização não planejada ou mortalidade por todas as causas) em 30 dias.

Ao todo, incluiu-se 65.696 pacientes nos quais foi descartado o diagnóstico de IAM e receberam alta como dor torácica não especificada. A maioria dos pacientes 57.701 (88%) foi liberada diretamente do DE e 7.995 (12%) foram admitidos. Entre os pacientes liberados diretamente do DE, 270 pacientes (0,9%) com cTnT apresentaram um MACE, em comparação com 185 pacientes (0,6%) após a introdução da TnT-as (p <0,001). O uso da TnT-as foi associada a menor risco de MACE (OR 0,7; IC95% 0,57-0,83). Em contraste, mais pacientes liberados após uma hospitalização inicial experimentaram um MACE quando avaliados com TnT-as (7,2% versus 3,4%; OR 2,18; IC95% 1,76 - 2,72) Os pacientes hospitalizados tinham um perfil de risco cardiovascular mais elevado quando avaliados com TnT-as quando comparados com aqueles liberados diretamente do DE. Quando ajustado por idade, sexo, tipo de hospital e história médica, a associação entre a implementação da TnT-as e MACE não foi significativa entre os pacientes liberados diretamente do DE (OR 0,72; IC95% 0,48-1,08) ou após a admissão (OR 1,28; IC 95% 0,85-1,95).

Este estudo sugere que o uso de ensaios de TnT-as está associado a uma diminuição da incidência de MACE em pacientes com dor torácica dispensados do DE, e aumento da incidência de MACE em pacientes liberados após hospitalização. Esses achados podem apoiar a hipótese de que TnT-as pode efetivamente identificar pacientes verdadeiramente de maior risco, e que posteriormente admitidos, bem como pacientes de menor risco que foram posteriormente dispensados diretamente da unidade de emergência. No entanto, análise multivariada, que ajustou a idade e os fatores de risco cardiovascular não demonstraram associação significativa entre TnT-as e MACE. Pesquisas prospectivas são necessárias para identificar pacientes em que os testes de Troponina de alta sensibilidade podem ter uma melhor precisão prever ou descartar o risco de eventos cardiovasculares adversos.

Fórum

LEGENDA : Comentários 
                     Respostas
      

Nenhum comentário foi encontrado.
Desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia da SBC - Todos os Direitos Reservados
© Copyright 2009 | Sociedade Brasileira De Cardiologia | Tecnologia@cardiol.br